Mulheres no surf

O Brasil possui grandes surfistas mulheres que ajudaram a colocar o país na elite do surf. Você sabe quais são elas?

Publicada em: 08/03/2021 10:50:57


Por muito tempo, as mulheres não fizeram parte da onda do surf. O esporte só começou a ser praticado na década de 30, em Santos, por Margot Rittscher, uma americana naturalizada brasileira. Após 50 anos que a primeira brasileira, Brigitte Mayer, começou a competir profissionalmente.

Atualmente, pode-se dizer que cada vez mais elas têm conquistado seu (merecido) espaço, elevando o nível do esporte e diversificando-o. Para homenageá-las no Dia Internacional da Mulher, vamos falar de 3 mulheres brasileiras extremamente importantes para esse esporte que tanto amamos. Vem com a gente! 

1- Maya Gabeira

Maya Gabeira é de outro mundo, e isso não é novidade. A surfista de ondas grandes tem relação com o surf desde pequena, aos 13 anos de idade. Ainda adolescente, ela viajava para o Havaí em momentos de alta temporada para disputar as primeiras competições enquanto trabalhava de garçonete. 

Graças ao contato com o esporte desde cedo, Maya desenvolveu uma rotina regrada de sono para acordar cedo e aproveitar dias de swell. 

Após anos de prática, a esportista encontrou seu amor, mas também sua dor: o surf de ondas grandes. Maya precisou superar o acidente quase fatal em Nazaré (pico conhecido pelas ondas gigantes) para voltar a surfar. 

Em 2020, Maya retornou à cidade portuguesa e conseguiu completar um feito quase impossível: quebrar o recorde mundial de maior onda surfada por uma mulher, que no caso, era ela mesma. 

2- Tatiana Weston Webb

Metade gaúcha, metade havaiana, Tatiana Weston Webb tomou para si, a responsabilidade de ser o rosto que representa o surf brasileiro feminino na liga mundial, e ela não brinca em serviço: seu maior desejo é conseguir o título mundial inédito. Apesar de interrompida, a competição será finalizada em algum momento e nós torceremos pela vitória brasileira. 

Tatiana iniciou efetivamente no mundo do surf aos 8 anos, quando viu seu irmão Troy aproveitar as ondas do Havaí - sua casa desde os 2 meses de idade. Porém, pode-se dizer que o amor pelo mar já corria em suas veias muito antes dela nascer: Tatiana é filha do surfista inglês Douglas Weston-Webb e da bodyboarder brasileira Tanira Guimarães. 

Apesar da dupla nacionalidade, a surfista tomou a decisão em 2018 de representar o Brasil, e segundo ela mesma, tudo mudou. Ela possui grande amor que pelo país de origem e nós temos certeza que representará muito bem nas competições que virão! 

3- Silvana Lima

Cearense de 36 anos, Silvana Lima atingiu a marca de melhor surfista brasileira por oito vezes e o vice-campeonato mundial por duas vezes.

Sua vida no surf começou com um pedaço de madeira, enquanto via seus irmãos surfando. Aos 13 anos, Silvana ganhou sua primeira prancha de verdade e sentiu a liberdade de poder surfar a hora que quisesse. Após sair do Ceará e ir para a cidade grande, Rio de Janeiro, Silvana se jogou de cabeça no esporte e trabalhou para conseguir patrocínio, prêmios e manter sua família em uma situação confortável. 

Após uma série de lesões e perda de patrocínio, a esportista conseguiu se recuperar e voltar para a cena da elite do surf mundial. 

Hoje, ela está fora da WSL, porém poderemos vê-la nas Olimpíadas de Tóquio. 

Agora conta para a gente! Qual delas é a sua preferida? 

Publicada em: 08/03/2021 10:50:57

Meio da Barra

domingo - 18/04/2021
VELOCIDADE
6.02 kts
DIREÇÃO

ÁGUA
23º
TEMPO
23º

SEJA PREMIUM

Tenha acesso a cameras exclusivas, conteúdos e ao nosso alerta de swell.

ASSINE JÁ