TOP 10: Os mais bem pagos no mundo do surf

Revista australiana divulga lista dos atletas que mais faturaram em 2018.

Publicada em: 07/01/2019 15:46:52


A revista australiana Stab publicou em seu site a lista de surfistas mais bem pagos do mundo em 2018, de acordo com apuração realizada pelo próprio veículo de comunicação.

Nós traduzimos a matéria para você e a lista pode ser conferida abaixo (quantias em dólares):

 

 

#10 - Kai Lenny:

 Foto: Divulgação / Red Bull

O havaiano de 26 anos, independente do esporte escolhido, é mais capaz do que qualquer coisa dentro do oceano. Ele é o Laird Hamilton desta geração: um verdadeiro homem da água e atualmente compete no WSL Big Wave Tour.

Apesar de ter recebido um prêmio de US $ 15.000 em dinheiro pela temporada 2018/19 até o momento (mais uma parte de seus US $ 39.000 da temporada 17/18), Kai ganhou mais de um milhão quando seus salários de patrocinadores foram considerados.

Mantendo acordos consideráveis com marcas como Hurley, Red Bull e Tag Heuer, Lenny faturou US $ 1.050.000 este ano e é o maior ganhador do ano entre os atletas de ondas grandes.

"Eu nunca me importei com o que as pessoas pensavam de mim e eu estou aderindo ao meu plano", disse Kai. 

 

Patrocinadores: Hurley, Nike, Red Bull, Tag Heuer, GoPro, Vertra.

Salário Anual: US $ 1.050.000

Dinheiro em premiação: $ 16k + $ 2k

Total: US $ 1.068.000

 

 

 

#9 - Stephanie Gilmore:

 Foto: stephaniegilmore.com

Mesmo se não tivesse conquistado o título mundial ano passado, a bela Steph se encontraria entre essa lista. Seu acordo com a renomada marca Roxy, agrega a maior parte de seus ganhos, mas em conjunto com outros patrocinadores como Nikon, Sanitarium e Audi, ela supera a marca de US $ 1 milhão  e é a mulher com maior salário do surfe.

Só nesta temporada, a australiana faturou mais de US$ 300 mil de premiação (número que deve aumentar em 2019, já que a WSL igualou a premiação entre homens e mulheres). E não se esqueça que no próximo ano, Steph estará adicionando um bônus de título no topo da pilha (rumores de estar na zona de $ 350k).

Nada mais que merecido para uma das melhores surfistas de todos os tempos!

 

Patrocinadores: Roxy, Sanitarium, Nikon, DHD, Audi, Breitling.

Salário Anual: US $ 1.300.000

Dinheiro em premiação: $ 343.450

Total: US $ 1.643.450

 

 

 

8# - Jordy Smith:

Foto: Divulgação - Surfing Life

 

A cada ano que passa, o sul-africano Jordy Smith é sempre um dos mais cotados para conquistar o título mundial - algo que ainda não aconteceu.

No ano de 2018, apesar de ter começado o ano muito mal, Jordy ainda terminou entre os cinco primeiros do ano. E seu contrato com a empresa O'Neill (que ele mantém desde 2007) foi renegociado este ano por uma quantia menor (de US $ 1 milhão a US $ 650 mil anuais) que o contrato anterior.

Jordy também perdeu em dois outros contratos: Channel Islands e Corona. Enquanto Jordy deixou seu contrato de US $ 40.000 com Channel Island para explorar o mercado de pranchas por vontade própria, a sua saída de embaixador da Corona é mais complicado.

Porém nada que Jordy precise se preocupar. Com um lucrativo negócio da Red Bull e uma série de outros acordos menores, com marcas como: Jeep, Oakley, Futures e Neff.  O sul-africano manteve um lugar na lista, apesar de ter quase um milhão a menos de  seus ganhos o ano anterior. Uma perda que teria subido (leia-se: caído) mais $ 300k se ele não tivesse ficado entre os cinco priemeiros do ranking da WSL. Semelhante ao contrato de Kolohe Andino, os ganhos da Jordy dependem de seu sucesso na turnê mundial.

 

Patrocinadores: O'Neill, Red Bull, Futuros, Rastreamento, Oakley, Vestal, Neff, Jeep, Brand Black.

Salário Anual: US $ 1.530.000

Dinheiro em premiação: $ 200.200

Total: US $ 1.730.000

 

 

#7 - Kanoa Igarashi:

Foto: Divulgação - QuikSilver

 

 

 

Kanoa nasceu na Califórnia, mas recentemente naturalizou-se japonês na última temporada, visando uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio. Isso também o ajudou a aumentar sua conta bancária com patrocínios vindos do extremo oriente.

Ele pode carregar apenas uns 170k de seguidores no seu Instagram, mas seu adesivo japonês do grupo Kinoshita, junto com vários outros patrocínios não relacionados ao surfe como o da Dior e da Audi, saltam Kanoa bem acima da marca de um milhão de dólares. 

O grupo Kinoshita supervisiona empresas que vão desde a construção, imobiliário, cuidados infantis, produtos médicos e é uma das maiores empresas do Japão. 

Junto com esses patrocínios citados, Kanoa Igarashi também tem o maior contrato em toda a lista de Boardriders (que é Roxy, Billabong, RVCA e Quik). O que significa que Kanoa tem salário maior que do ninguém menos que Joel Parkinson, Bruce Irons, Mikey Wright, Steph Gilmore e Jack Freestone. 

Isso sem mencionar seu acordo com a RedBull e um negócio considerável com a empresa de relógios, a G-Shock. Kanoa também ganhou bônus notáveis por trazer o Japão uma medalha de ouro nos jogos recentes da ISA, e ganhará mais bônus quando for o melhor surfista do Japão nos Jogos Olímpicos de 2020.

E enquanto nada é feito ainda, há rumores de que o mega marca de roupas, Uniqlo, sodou o agora japonês Kanoa. O mesmo Uniqlo que pagou a Roger Federer um contrato de US $ 300 milhões para 10 anos para o mesmo abandonar da Nike no início deste ano.

Com esses patrocínios, Kanoa conseguiu investir simultaneamente seus ganhos e satisfazer seus desejos de viagem. Ele é dono de duas casas em Portugal (a Europa é uma das favoritas de Kanoa), bem como uma casa em sua cidade natal, Huntington Beach.

Não fique surpreso se vermos Kanoa no topo do pódio quando as Olimpíadas chegarem.

 

Patrocinadores: Quiksilver, Red Bull, Oakley, Audi, Sharp Eye, Visa, Kinoshita Group e Dior.

Salário Anual: US $ 1,6 milhão

Dinheiro em premiação: $ 174.600 (CT) + $ 83.350 (QS)

Total: US $ 1.857.950

 

 

 

#6 - Kolohe Andino:

Foto: Divulgação - FCS

 

O californiano ainda é o mais bem-sucedido norte-americano no CT, mas ter caido fora do top 10 em 2018 custará caro para Kolohe. Enquanto seu o contrato com Hurley, de US $ 1,2 milhão, permanece para 2018, ele estipula que o ano seguinte será cortado pela metade desde que ele caiu para o 11º lugar este ano - um ponto além do que seu contrato exige.

Uma derrota no Round 2 para Pupo pode não parecer tão grande, mas no caso de Kolohe, sua perda para  Miguel no Pipeline custou a ele cerca de $ 600.000. 

Se Kolohe quiser voltar ao seu contrato de US $ 1,2 milhão em 2019, ele terá que voltar para o top 10 da próxima temporada.

Nos últimos anos, Kolohe perdeu acordos com a Target e a SkullCandy, mas o salário de Hurley combinado com outros patrocínios como a gigante Red Bull , FCS, Mayhem e Oakley, mantiveram a conta bancária de Kolohe em segurança.

 

Patrocinadores: Hurley, Red Bull, FCS, Mayhem, Oakley

Salário Anual: US $ 1.785.000

Dinheiro em premiação: $ 160.200

Total: US $ 1.945.200

 

 

 

#5 - Filipe Toledo:

 

Foto: Divulgação - WSL

 

2018 quase foi o ano de Filipe Toledo. O brasileiro bateu na trave na disputa do título mundial, mas seu surf rápido, fluido e imprevisível empolgou a todos durante todo o ano.

Com um Título Mundial provável e uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio quase uma conclusão precipitada, a capacidade de ganhos - em dinheiro - de Filipe certamente crescerá. Para complementar, sua gestão é baseada na Califórnia e seus negócios sendo feitos em dólares dos EUA.

O que foi feliz no ano passado, quando Filipe assinou vários contratos na posição invejável de negociar quando ainda estava vestindo a lycra amarela da WSL. Enquanto a maior parte de seus ganhos vem de Hurley, Oi e Monster, uma enxurrada de contratações adicionais com marcas como GoPro, Sunbum e renegociações de contratos anteriores aumentaram os ganhos de Filipe no ano anterior. Um aumento de US $ 1,3 milhão para ser preciso.

Adicione esses ganhos a dois primeiros lugares e uma onda de cinco melhores e você terá o quinto maior ganhador da temporada.

Patrocinadores: Hurley, Oi, Jipe, Sharp Eye, Stance, FCS, GoPro, Sunbum, Monstro, Oakley

Salário Anual: US $ 2.184.000

Dinheiro em premiação: $ 388.000

Total: US $ 2.572.000

 

#4 - Julian Wilson:

Foto: Divulgação - RedBull

 

Julian Wilson agora é um homem de família, após o nascimento de sua filha, Olivia, Julian parece ter renovado suas forças para competir e fez a melhor Corrida de Título Australiana que presenciámos desde Mick Fanning em 2015. Ele começou a temporada com uma vitória na Gold Coast, e se manteve na dispita até as finais no Pipe Masters. No total, os esforços de Juliano na temporada lhe renderam US $ 430.000.

Isso, no entanto, não é de onde vem a maior parte da estabilidade finaceira de Wilson. Enquanto a indústria do surfe em geral é superexpressa, o contrato de sete dígitos de Julian foi herdado por Hurley quando a Nike partiu de volta no final de 2012. Considere isso junto com a grandes transações de bebidas e automóveis (Mercedes e Red Bull), e seu nome em um dos principais modelos de pranchas vendidos, a JS Air, além de um considerável contrato com a Oakley.

A escassez traz valor. E não fica mais escasso do que ser o único título que o seu país de costa tem. Espere vê-lo entre os cinco primeiros, competitiva e financeiramente pelos próximos anos.

Patrocinadores: Hurley, Red Bull, Sunbum, Mercedes, Oakley, JS Surfboards, FCS

Salário Anual: US $ 2.410.000

Dinheiro em premiação: $ 430.000

Total: US $ 2.840.000

 

 

 

#3 - Mick Fanning: 

 

Foto: Divulgação - RedBull

 

Apesar de se aposentar da turnê em Bells Beach, em abril, Mick ainda entrava facilmente na lista dos surfistas - o único free surfer a fazer parte desta lista. Seus contratos nos anos futuros certamente verão alguns reajustes - para baixo - mas aqueles que são próximos a Mick podem atestar o fato de que ele é um trabalhador. A reputação de Mick neste sentido faz com que ele se comprometa com algo e sua dedicação a esse conceito ou marca é inabalável.

Ao contrário dos veteranos da turnê, Taj Burrow e Joel Parkinson, os contratos de Mick não cairão muito agora que ele não tem uma vaga no World Tour. Felizmente para Mick, seu contrato de aposentadoria com a RipCurl gira principalmente em torno de surfar em locais desconhecidos e sem aglomeração com Mason Ho e quem quer que seja.

No lado financeiro, há rumores de que Mick não vai considerar assinar um novo contrato por menos de 250 mil dólares. A menos, é claro, que ele esteja apostando pesado em seu empreendimento lucrativo.

Por outro lado Mick Fanning também será lembrando, além de seus 3 títulos mundias, como o cara que socou um tubarão. E, embora esse incidente possa ter despertado grande interesse do público, é difícil desconsiderar a relevância e o status icônico de Mick. Acordos consideráveis com marcas como Mercedes e Red Bull são apenas um dos efeitos indiretos que o Mick conquistou.

Mick também tem sua mão em uma série de projetos de surfe e offshoot. Em 2017, ele lançou as pranchas Mick Fanning, que são um fenómeno de softboard nas cidades costeiras australianas. Ele também se juntou como embaixador dos fornecedores globais de placas, Awayco.

Adicione isso a ações da Creatures of Leisure, sua empresa de cerveja crescente: Balter, e investindo na nova câmera de tecnologia, a Opkix.

O resultado? Temos o empreendedor Mick Fanning como o terceiro surfista mais rico do mundo.

Patrocinadores: Rip Curl, DHD, Creatures, Balter, Red Bull, Reef, Mercedes, Skull Candy, Softboards MF, FCS, Awayco

Salário Anual: US $ 2.850.000

Dinheiro em premiação: $ 69.700

Total: US $ 2.919.700

 

 

#2 Gabriel Medina: 

Foto: Divulgação - GQ

 

O desempenho de Gabriel Medina no Pipeline neste ano aqueceu até mesmo os corações mais frios do núcleo de surf. Ficará como um momento inesquecível na história do surfe, marcando sua segunda temporada vencedora do título mundial em 2018.

Gabriel pode não lançar clipes e filmes da web que obtêm cliques, replays e métricas subsequentes - ele nunca lançou um clipe adequado ou edição on-line -, mas se você compilasse as melhores pontuações deste ano, estaria assistindo a uma edição do ano, certamente.

Como resultado de sua supremacia competitiva, Gabriel é uma celebridade legítima no Brasil. Ao lado de nomes como Neymar e Arthur (Jogador do Barcelona), Medina é um nome familiar em toda a sua nação natal e só continua a crescer. Além disso, seus 6,7 milhões de seguidores no Instagram superam John Florence e Kelly Slater, que juntos somam "apenas" 3,5 milhões.

Ser celebridade e esse status na mídia social, no entanto, não traduzem o dobro da renda. A grande maioria dos seguidores do Instagram de Gabriel Medina é brasileira - supostamente tão alta quanto 90% - e com o real sofrendo um declínio constante nos últimos cinco anos , combinada com a turbulência econômica e uma nova governo altamente conservador, esses números surpreendentes não vão tão longe quanto se poderia esperar.

Seu contrato com a Rip Curl, assinado até 2021, é simplesmente a metade do contrato de John com Hurley. A  empresa brasileira de telecomunicações Oi, lhe dá algumas mptas mas que não chegam a um milhão, a Audi chega à região dos seis dígitos e a marca de refrigerantes Guaraná, cerca de 400 mil. Gabriel também adicionou os gostos de Corona e Orthopride à sua base de torcedores em 2018, mas ele perdeu FCS, Oakley e seu patrocinador infame, que lhe rendia bastante dinheiro: Gillette.

O que bateu um pouco mais em Medina este ano foi os $ 473.200 que ele ganhou em prêmios em dinheiro.Combinado com os dólares adicionados que são ganhos com alguns adesivos de bônus, Medina arrecadou alguns pacotes abaixo de US $ 4 milhões, um número que aumentará no próximo ano, quando a cereja do título de US $ 1 milhão for colocada no topo.

Ele pode ter sido o surfista número um de 2018, mas ele é o segundo playboy do surf, ao menos por enquanto.

Patrocinadores: Rip Curl, Oi, Coppertone, Cabianca, Guaraná, Audi, Orthopride, Corona.

Salário Anual: US $ 3.050.000

Dinheiro em premiação: $ 473.200

Total: US $ 3.523.200

 

 

#1 John John Florence:

Foto: Morgan Maassen

 

Quando a Nike observa um prêmio, ela opera com precisão semelhante à do laser. Dito isso, desde do início de sua carreira, a Nike (Hurley) só quer John John e mais nínguem. 

O que resultou foi o maior contrato já assinado no mundo do surf. Mesmo com a suposta explosão do surfe causada virando agora um esporte olímpico, este contrato não será ultrapassado por muito, muito tempo.

O bicampeão mundial ficou a maior parte de 2018 com uma lesão em seu joelho, e ficou de fora da maioria das etapas do Tour Mundial. A maioria dos contratos feitos tem penalidades que se aplicam se o atleta está fora com uma lesão, pois não poderá representar a mesma. Há rumores de que o contrato de John não é diferente, mas neste caso recente, Hurley honrou seu contrato total como se estivesse ele não estivesse lesionado.

Apesar disso, os primeiros cinco eventos renderam-lhe pouco menos de $ 60,000 enquanto ele embolsou $ 322,500 a caminho do seu segundo título em 2017.

Fechado em um contrato de oito anos, o contrato de US $ 30 milhões de John expira em 31 de dezembro de 2024. Embora ele possa não ter sido o melhor surfista competitivo do mundo em 2018, ele continuou sendo mais bem pago, e muitos argumentaram que sua edição Space 'foi a melhor performance de surf em 2018".

Seus patrocinadores adicionais - Nixon, Futures, Pyzel, com Yeti e Electric embarcando no navio este ano - são pequenos em contraste com seu contrato com Hurley, mas ainda contribuem com quase meio milhão para seus ganhos.

Além disso, John também mudou seus negócios fora do mundo do surf, para a Creative Artists Agency. Uma agência que gerencia talentos de Hollywood, como Brad Pitt e Tom Cruise, e estrelas do esporte como Nyjah Huston. Kelly Slater, Mick Fanning e Stephanie Gilmore se conectam com o mainstream e enquanto John é o queridinho do 'mundo do surf', será interessante ver se ele vai sentir um perfume ou se há algum desejo de, digamos, um grande marca de relógios nomeada para ter John como embaixador.

Outro impulso foi o bônus de título mundial do ano anterior.

Enquanto a taxa atual para um bônus de título é tipicamente um milhão de dólares, quando você é o surfista mais bem pago do mundo, espera-se que você esteja ganhando vários títulos mundiais de qualquer maneira.Por isso, John embolsa US $ 500 mil por sua excelência competitiva em 2017.

John é um homem que sabe o que quer e está preparado para pagar por isso. Ele teve que superar o WSL para um de seus melhores comentaristas, Ross Williams, para ser seu treinador. Este movimento não foi barato, mas é o que lhe rendeu bons frutos: títulos mundiais consecutivos.

E enquanto esses investimentos em si mesmo estão claramente pagando dividendos, a folha de pagamento mensal de John seria astronômica para manter vivo sua equipe que conta com 16 pessoas - chef, técnico, fisioterapeuta, relações públicas, orientação espiritual incluída - para não mencionar os custos de manutenção de suas despesas.

Se John voltar ao seu passado competitivo ou não, espere vê-lo no auge desta lista nos próximos anos.

Patrocinadores: Hurley, Stance, Futures, Nixon, Dakine, Pyzel, Electric e Yeti.

Salário Anual: US $ 4.770.000

Bônus do título mundial: US $ 500.000

Dinheiro em premiação: $ 59.200

Total: US $ 5.329.200

 

 

Menção Honrosa: Kelly Slater

Foto: Divulgação GQ

 

Como de costume, números precisos em torno do capital de Kelly são difíceis de obter. Não que o 11x campeão mundial esteja completamente fora de alcance, mas mais que seus empreendimentos comerciais são investimentos complexos, em vez de simples troca de nome e dinheiro. Sua marca de roupas ecológicas Outerknown continua a toda, junto a isso ele tem sua mão na WSL através de sua própria piscina de ondas o "Surf Ranch". slater ainda é embaixador das empresas Health-Goop, da Slater Designs através de sua maior aquisição da Firewire, e há rumores de que sua bebida energética: Purps, será ressuscitada em 2019.

Em algumas circunstâncias, no entanto, seus negócios são simples. Em 2018, Kelly apertou a mão da marca de relógios de luxo, a Brietling, que prevíamos que seria significativamente mais do que uma troca de US $ 250 mil. Ele também veio a bordo como embaixador do Michelob Ultra, patrocinador oficial de bebidas da WSL.

 Como alguém que investiu publicamente e financeiramente em produtos de saúde e superalimento, é estranho vê-lo apoiando uma cerveja, por isso é seguro assumir que um negócio significativo.

A revista australiana STAB MAG, não conseguiu definir a quantia exata de Kelly, mas é improvável que ele se encontrasse fora desta lista se seus investimentos e patrocínios fossem todos adequadamente calculados. 

 

Publicada em: 07/01/2019 15:46:52

Pitangueiras

sexta-feira - 28/01/2022
VELOCIDADE
15.66 kts
DIREÇÃO

ÁGUA
TEMPO

SEJA PREMIUM

Tenha acesso a cameras exclusivas, conteúdos e ao nosso alerta de swell.

ASSINE JÁ